Apucarana ainda não aderiu à Greve dos Correios

4 mulheres e 1 homem foram presos por tráfico
21 de setembro de 2017
Polícia Civil divulga imagens de vistoria no mini-presídio
21 de setembro de 2017
Apucarana ainda não aderiu à Greve dos Correios

Na manhã desta quinta-feira 21/09, o sindicalista Fabiano Silveiro se reuniu com os trabalhadores dos correios de Apucarana.

Durante o encontro foi decidido que por enquanto, os trabalhadores não vão aderir à greve. “O pessoal não aderiu, apenas eu que faço parte do sindicato participo do movimento. O que está acontecendo é que existem duas federações que representam os trabalhadores dos correios, uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro que vão realizar assembleia ainda na terça-feira que vem 26/09, e os trabalhadores daqui, da região de Apucarana resolveram esperar essa assembleia que será realizada em São Paulo,” informou Fabiano.

Ainda de acordo com ele,  os trabalhadores podem entrar em greve a qualquer momento. “A  empresa em vez de oferecer alguma coisa, está retirando o que já tem. Vale alimentação,  plano de saúde, entre outros benefícios,” destaca o sindicalista.

A repórter Sílvia Vilarinho conversou com Fabiano Silveiro que fala melhor sobre a situação da greve dos correios em Apucarana.

A greve dos Correios começou às 22h de terça-feira 19/09 e atinge 20 estados e o Distrito Federal. A paralisação envolve os trabalhadores dos sindicatos de Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Brasília (DF), Campinas (SP), Ceará, Espírito Santo, Goiás, Juiz de Fora (MG), Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Ribeirão Preto (SP), Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Maria (RS), Santos (SP), São José do Rio Preto (SP), Sergipe, Santa Catarina, Uberaba (MG) e Vale do Paraíba (SP).

Entre os motivos da greve, estão o fechamento de agências, pressão para adesão ao plano de demissão voluntária, ameaça de demissão motivada com alegação da crise, ameaça de privatização, corte de investimentos em todo o país, falta de concurso público, redução no número de funcionários, além de mudanças no plano de saúde e suspensão das férias para todos os trabalhadores, exceto para aqueles que já estão com férias vencidas.

 

Comments are closed.