Hospital Materno Infantil homenageou ex-pacientes

PM divulga balanço de operação contra o crime
1 de dezembro de 2017
Educação realiza premiação e formatura dos alunos
1 de dezembro de 2017
Hospital Materno Infantil homenageou ex-pacientes

Em comemoração ao Mês do Prematuro o Hospital Materno Infantil homenageou ex-pacientes, familiares e equipe de profissionais da UTI Neonatal em evento realizado no Clube Ucraniano.

A UTI Neonatal, inaugurada em 2004, possui oito leitos para pacientes neonatais e dois leitos pediátricos e conta com uma equipe multidisciplinar com dois fisioterapeutas, nutricionista, sete médicos intensivistas, seis enfermeiros e 17 técnicos de enfermagem.

Desde outubro de 2016 até outubro de 2017 houveram 181 internamentos na unidade, sendo 33 de pacientes nascidos a termo  – no período de acima de 37 semanas de gestação e pacientes pediátricos – e 148 pacientes prematuros – nascidos com menos de  37 semanas de gestação.

“Vimos a necessidade de, além do atendimento ao nosso paciente, amparar as famílias que deixam seus filhos aos cuidados na nossa equipe. Nos preocupamos em criar vínculos com os pais, fazemos com que eles voltem pra casa seguros e mais tranquilos a cada visita. Eles não só deixam seus bebês com profissionais capacitados, mas com pessoas que se preocupam em humanizar o atendimento”, afirma a enfermeira coordenadora da UTI Neonatal, Francismara de Lima.

A Locutora e repórter Meri Pichelli conversou com Francismara, a entrevista segue no áudio abaixo.

A UTI do “Hospital Materno Infantil” atende a pacientes de 16 municípios. A diretora do hospital Irmã Geovana disse que a UTI Neonatal faz um trabalho maravilhoso e que as vezes algumas pessoas desconhecem esse trabalho.

A irmã Geovana também fala sobre o assunto.

Nascida com 7 meses e pesando 705 gramas, Júlia Kethellyn, esteve internada por 87 dias na UTI Neonatal do Hospital Materno Infantil. Hoje, com 3 anos, esbanja saúde e uma das suas atividade favoritas é dançar balé.

“Às vezes a gente coloca assim, ‘Eu não vou conseguir isso’, ‘eu não posso isso’, só que daí eu olho pra ela e falo ‘eu vou fazer’, ela superou tanto, por que eu não posso?” emocionada disse a mãe Gislaine da Silva Paulino.

A entrevista com a mãe da Júlia segue abaixo.

 

Comments are closed.