Tribunal de Justiça anula júri que condenou réus do caso da Boate Kiss

INSS alerta para golpes que usam prova de vida como isca
30 de julho de 2022
Jô Soares morre em São Paulo aos 84 anos
5 de agosto de 2022
Tribunal de Justiça anula júri que condenou réus do caso da Boate Kiss

Imagem: Reprodução

Após julgar as apelações contra a sentença que condenou os quatro réus do processo da boate Kiss, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) decidiu nesta quarta-feira (3) anular o júri ocorrido em dezembro de 2021 e submeter os réus a novo julgamento.

Por 2 votos a 1, os desembargadores entenderam por acatar nulidades alegadas pelas defesas. Com isso, o mérito nem chegou a ser analisado. Dois dos quatro réus foram soltos por volta das 20 horas. Os outros dois devem sair ainda nesta quarta-feira.

Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko, sócio da Kiss, havia sido condenado a 22 anos e seis meses de prisão em regime fechado. Mauro Hoffmann, também sócio da Kiss, tinha sido condenado a pena de 19 anos e seis meses de prisão. Vocalista da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos foi sentenciado a 18 anos, mesma pena de Luciano Bonilha Leão, produtor de palco da banda.

Luciano Bonilha Leão e Marcelo de Jesus dos Santos foram os primeiros a deixar a prisão.

O Ministério Público lamentou o resultado da sessão e se disse “inconformado, pois confia na legalidade do processo e já trabalha para reverter a decisão, como ocorreu nesse mesmo processo em situações anteriores”. Familiares das vítimas também lamentaram a decisão pelas redes sociais.

O incêndio na boate Kiss  matou 242 pessoa e feriu 636 outras na boate Kiss, localizada na cidade de Santa Maria (RS). A tragédia ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.